Recensão à Balada do Velho Marinheiro de S. T. Coleridge (trad Alberto Pimenta)

«Poucos poetas têm a erudição e a inventiva de Pimenta, de modo que a tradução, obra de juventude, é muito engenhosa, mesmo quando se afasta da musicalidade original, procurando outra música igualmente cativante (…) (tão importante é a musicalidade que esta edição anota uma “pausa de semínima” a meio dos versos, um requinte que se estende à reprodução das gravuras de Gustave Doré e a todo o grafismo).

Recensão de Pedro Mexia à Balada do Velho Marinheiro de S. T. Coleridge, com tradução de Alberto Pimenta, na Revista E do Semanário Expresso, (Novembro, 2017)