Maria Irene Ramalho ► Um caminho curto para um poema grande ▪️ Alberto Pimenta e o livro Pensar depois No caminho ◄ Jornal de Letras de 8 a 21 de Maio de 2019:

“Ezra Pound definia a epopeia como poesia que contém história. Leio este longo poema (211 páginas) como uma epopeia crítico-paródica da consciência do Ocidente. […] Pensar depois No caminho contém, todavia, muito mais do que história, de ontem e de hoje. A religião, a cultura, a literatura, a civilização, os mitos e a tradição – e a economia financeira – nada escapa ao imaginar satírico de Pimenta. […]
A poesia é o mais difícil, rigoroso, obstinado e desobediente uso da língua, o uso da língua que mais põe a língua em causa, que mais põe em causa a eficácia da língua. Em Alberto Pimenta, a língua da poesia é a língua da poesia-toda-a-escrever-o-mundo-todo-no-tempo.”