To our foreign visitors: Our site is in Portuguese. If you have any difficulty ordering, please contact us and we will help in everything we can.

Blog

Zombo de Alberto Pimenta no Jornal de Notícas por Sérgio Almeida

Escrito em 08 de Jul. de 2019

"Zombo" é o título da nova ode à liberdade do inimitável poeta Alberto Pimenta, que aos 82 anos mantém intacto o seu pulsar criativo. Radical, transformadora, mas sempre plena. Assim é a obra de Alberto Pimenta (AP), há mais de quatro décadas a agitar as consciências coletivas sem que isso signifique uma tentativa deliberada de intromissão na esfera do indivíduo, o único sagrado que reconhece. Na poesia como na prosa, na teoria como no domínio da performance e do "happening", AP sempre foi um corpo estranho no meio literário português, pouco ou nada habituado a quem escarnece das convenções dominantes. ... Ler mais

ZOMBO de Alberto Pimenta por Hugo Pinto Santos, no Suplemento Ípsilon (21/06/2019)

Escrito em 21 de Jun. de 2019

Já Quintiliano notava que há palavras, não só acções, que provocam o riso — ou funcionam como instrumentos de um derrisão mais ampla. Poderíamos dizer que o título do mais recente livro de Alberto Pimenta (AP) encarna esse princípio. O verbo “zombar”, nele utilizado, produz uma sonoridade que, a um tempo, provoca estranheza, sugere riso e motiva um alerta. Circunstâncias que a capa de Zombo exploram. Os tipos usados e um efeito de espelhamento e inversão permitem, rodando o livro num ângulo de 180 graus, ler o título sem quase o desfigurar. Qualquer coisa que nos deve, desde logo, deixar em estado de alerta ... Ler mais

Um caminho curto para um poema grande, Maria Irene Ramalho sobre Alberto Pimenta e o livro Pensar depois No caminho no Jornal de Letras

Escrito em 08 de Mai. de 2019

“Ezra Pound definia a epopeia como poesia que contém história. Leio este longo poema (211 páginas) como uma epopeia crítico-paródica da consciência do Ocidente. […] Pensar depois No caminho contém, todavia, muito mais do que história, de ontem e de hoje. A religião, a cultura, a literatura, a civilização, os mitos e a tradição – e a economia financeira – nada escapa ao imaginar satírico de Pimenta. […] A poesia é o mais difícil, rigoroso, obstinado e desobediente uso da língua, o uso da língua que mais põe a língua em causa, que mais põe em causa a eficácia da ... Ler mais
×